Parabéns, Arca Brasil!

Parabéns, ARCA BRASIL, pelos seus 21 anos de trabalho, de propostas inovadoras e de persistência na concretização do ideal de vivência harmônica entre seres humanos e animais, que nos motiva a todos os que pertencemos a essa “tribo” de gente que se incomoda com o sofrimento desses seres que habitam conosco a mesma casa – o planeta Terra.
Não sei dizer exatamente há quanto tempo participo de debates, de congressos, enfim, de toda sorte de eventos com a presença marcante da ARCA BRASIL. Posso dizer com certeza que nosso bom relacionamento toma boa parte desses 21 anos.
Como não lembrar dos dois gloriosos congressos brasileiros e latino-americanos de bem-estar animal, realizados por aqui, com a participação de todos nós e de ativistas internacionais; como não lembrar dos eventos da ARCA BRASIL direcionados a despertar nos médicos veterinários, um novo olhar no trato para com os animais, desfocando o anacrônico modelo de que seriam máquinas cartesianas automatizadas insensíveis, para aceitar as evidências científicas atuais de que são seres sencientes, aos quais devemos respeito, tanto ao direito à própria vida, quanto à sua capacidade de sofrimento.
Como coordenadora do MEDVESP – Movimento Cultural de Medicina Veterinária e Espiritualidade, que coordeno desde 2010 junto à Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP, tive imenso prazer em convidar meu estimado amigo Marco Ciampi para lá proferir palestra, neste ano, sobre o histórico e as propostas da ARCA BRASIL, pela importância dessa instituição no contexto do Bem-Estar Animal.
Também como coordenadora do NUVET – Núcleo de Medicina Veterinária e Espiritualidade junto à AME – SP (Associação Medico-Espírita de São Paulo), vivenciei imensa alegria ao contar com a presença do meu amigo Marco Ciampi, representando a ARCA BRASIL no evento que realizamos em abril próximo passado, aqui em São Paulo.
Guardo com carinho as fotos que tenho junto do Tingo, que durante muito tempo representou símbolo vivo da ARCA BRASIL.
Sinto-me gratificada pelas ligações que mantemos, sejam pelas tarefas comuns e sempre marcadas pelos mesmos ideais, sejam no terreno afetivo.
Desejo que estes primeiros 21 anos, que explodem em juventude, mas ao mesmo tempo em maturidade, sejam a mola propulsora de muitas realizações na seara do bem de todos, o que significa entendimento dos seres humanos quanto à verdadeira natureza dos animais. Afinal, como refere Fritjof Capra (Pertencendo ao Universo), “não somos donos do mundo, apenas pertencemos a ele!”
Com fraterno abraço a todos,
Irvênia Prada