Parecer abate religioso 2010

Parecer enviado a Mr. Ruben Vis, Amsterdam – dez/10. Como judeu, ele havia me solicitado um parecer (favorável) ao abate judaico de bovinos, “provando” que eles não sofriam durante esse procedimento. Tive de apresentar minhas razões que me tornavam convicta exatamente do contrário, conforme segue.

Já no século XVII Galileu Galilei considerava que somente os fenômenos quantificáveis são da competência da ciência. O sofrimento (diferente de dor) é um fenômeno de vivência subjetiva e portanto, pesquisas científicas como a que o senhor me enviou, por mais que tentem, jamais conseguirão informações confiáveis que tragam paz à nossa consciência.

Eu estou convencida de que nenhum argumento convence o ser humano a mudar de atitudes, quando ele não aceita mudanças. Eu espero que um dia nós possamos optar por outras fontes de alimento que não sejam as das indústrias da morte.

Em anexo segue referência de uma tese realizada em uma das universidades brasileiras – UNESP – sobre o abate judaico. Com auxilio do tradutor Google o senhor poderá ter uma idéia de como o assunto é discutível.

Since the seventeenth century, Galileo Galilee believed that only the quantifiable phenomena are a matter of science. Suffering – different from pain – is a phenomenon of subjective experience and, therefore, scientific researches like the one you have sent to me, for more they try, will never achieve reliable information that can bring peace to our conscience.

I am sure that there are no arguments able to convince human beings of changing their behavior when they don´t accept any change. It is valid not only for you but also for me.

I hope one day we are able to opt for sources of nourishment other than those ones of the industries of death.
Surely everyone will be happier. That’s what I sincerely whish..

Following reference of a thesis held in a Brazilian University – UNESP – on the Jewish slaughter (Google translator)

ROÇA, R.O. Abate humanitário: o ritual kasher e os métodos de insensibilização de bovinos. Botucatu: FCA/UNESP, 1999. 232p. Tese (Livre-docência em Tecnologia dos Produtos de Origem Animal) – Universidade Estadual Paulista.. – where one can read:

… “O grande problema do ritual judaico de abate de bovinos no Brasil é o sistema de contenção dos animais, que é ineficiente e não considera que o gado abatido é principalmente zebuíno, mais agitado que o gado taurino. A contenção e a degola cruenta provocam sérios efeitos estressantes nos animais abatidos pelo método kasher. Nos momentos após a degola e suspensão, os animais abatidos por este ritual apresentam flexão dos membros anteriores e contração dos músculos da face, sinais evidentes de dor (ROÇA, 1999)”…

… “A religião judaica é a mais exigente quanto às normas de alimentação, que envolve seleção da matéria prima, abate de animais, preparo e consumo de alimentos, uso de determinados utensílios e também regras de alimentação em certos dias como sabbath ou dias de festas (LÜCK, 1994, 1995).
Em contraste com a exigência religiosa, estes métodos tem sido criticados, tanto pela crueldade (REVISTA NACIONAL DA CARNE, 1995) como também pela falta de cuidados quanto aos aspectos higiênico-sanitários (LÜCK, 1994)”…

REVISTA NACIONAL DA CARNE. Abate humanitário: não há nenhuma razão para que o Governo demore para liberar a lei. Revista Nacional da Carne, São Paulo, v.19, n.215, p.52-60, 1995.

LÜCK, E. Jüdische speisegesetze. Ernährungs-Umschau, Frankfurter, v.41, n.10, p.384-388, 1994.

LÜCK, E. Zusatzstoffe für lebensmittel und bedarfsgegenstände im lichte der jüdischen speisegesetze. Deutsche Lebensmittel-Rundschau, Frankfurter, v.4, n.1, p.115-117, 1995.